Geração á Rasca

Gostei do texto por isso publico-o, revejo muitas pessoas neste texto...


A geração dos meus pais não foi uma geração à rasca.
Foi uma geração com capacidade para se desenrascar.
Numa terriola do Minho as condições de vida não eram as melhores.
Mas o meu pai António não ficou de braços cruzados à espera do Estado ou de quem quer que fosse para se desenrascar.
Veio para Lisboa, aos 14 anos, onde um seu irmão, um pouco mais velho, o Artur, já se encontrava.
Mais tarde veio o Joaquim, o irmão mais novo.
Apenas sabendo tratar da terra e do pastoreio, perdidos na grande e desconhecida Lisboa, lançaram-se à vida.
Porque recusaram ser uma geração à rasca
, fizeram uma coisa muito simples.
FORAM TRABALHAR.

Não havia condições para fazerem o que sabiam e gostavam.
Não ficaram à espera.
Foram taberneiros.
Foram carvoeiros.
Fizeram milhares de bolas de carvão e serviram milhares de copos de vinho ao balcão.
Foram simples empregados de tasca.
Mas pouparam.
E quando surgiu a oportunidade estabeleceram-se como comerciantes no ramo.
Cada um à sua maneira foram-se desenrascando.
Porque sempre assumiram as suas vidas pelas suas próprias mãos.
Porque sempre acreditaram neles próprios.

E nós, eu e os meus primos, nunca passámos por necessidades básicas.
Nós, eu e os meus primos, sempre tivémos a possibilidade de acesso ao ensino e à formação como ferramentas para o futuro.
Uns aproveitaram melhor, outros nem tanto, mas todos tiveram as condições que necessitaram.
E é este o exemplo de vida que, ainda hoje, com 60 anos, me norteia e me conduz.

Salvaguardadas as diferenças dos tempos mantenho este espírito.
Não preciso das ajudas do Estado.
Porque o meu pai e tios também não precisaram e desenrascaram-se.
Não preciso das ajudas da família que também têm as suas próprias vidas.
Não preciso das ajudas dos vizinhos e amigos.
Porque o meu pai e tios também não precisaram e desenrascaram-se.

Preciso de mim.
Só de mim.
E, por isso, não sou, nunca fui, de qualquer geração à rasca.
PORQUE ME DESENRASCO.
Porque sempre me desenrasquei.


O mal desta auto-intitulada geração à rasca é a INCAPACIDADE que revelam.
Habituados, mal habituados, a terem tudo de mão beijada.
Habituados, mal habituados, a não precisarem de lutar por nada porque tudo lhes foi sendo oferecido.
Habituados, mal habituados, a pensarem que lhes bastaria um canudo de um qualquer curso dito superior para terem garantida a eterna e fácil prosperidade.
Sentem-se desiludidos.

E a culpa desta desilusão é dos "papás" que os convenceram que a vida é um mar de rosas.
Mas não é
.
É altura de aprenderem a ser humildes.
É altura de fazerem opções.
Podem ser "encanudados" de qualquer curso mas não encontram emprego "digno".
Podem ser "encanudados" de qualquer curso mas não conseguem ganhar o dinheiro que possa sustentar, de imediato, a vida que os acostumaram a pensar ser facilmente conseguida.
Experimentem dar tempo ao tempo, e entretanto, deitem a mão a qualquer coisa.
MEXAM-SE!!! TRABALHEM!!!

Aprendam a Ganhar dinheiro.
Nao fiquem sentados no sofá ou á mesa a reclamar com tudo e todos. Aproveitem melhor esse tempo e levantem-se pa fazer um part-time extra.
Custa muito? Obvio que sim.
As reclamações por tudo e por nada são muito mais faceis e não sai do corpo, mas lembrem-se que não alimentam os nossos filhos!!!
Na loja do Shopping.
Porque não ?
Aaaahhh porque é Doutor...
Doutor em loja de Shopping não dá status social.
Pois não.
Mas dá algum dinheiro. Não é isso que todos precisamos para viver?
Então mostrem quem têm valor a trabalhar e não a reclamar e logo chegará o tempo em que irão encontrar o tal e ambicionado emprego "digno".
O tal que dá status.

O meu pai e tios fizeram bolas de carvão e venderam copos de vinho.
Eu, que sou Informático, System Engineer, em alturas de aperto, vendi bolos, calças de ganga, trabalhei em cafés, etc. Nunca tive vergonha, mas sempre tive dinheiro suficiente para não reclamar e alimentar os meus filhos.
E garanto-vos que sou hoje muito melhor e mais reconhecido socialmente do que se sempre tivesse tido a papinha toda feita.

Geração à rasca ?
VÃO TRABALHAR QUE ISSO PASSA
.

À rasca, mesmo à rasca, também já tenho estado.
Mas vou à casa de banho e passa-me....


0 comentários:

 

Seguidores

Google+ Followers

Category

photos movies filmes fotos BroTTasPhotos brottas arte foto photo bikes caminhar chicksandbikes 2015 fotos caminhar 2015 movie daily photo desenho musica imagens music passeios geocaching Btt postais Fotografos projecto 2013 MOleskine Treinos videos TuGa art Filmes 2014 artistas Ferramentas run tools pintura postcrossing youtube saltos tugas espectáculos jump geo passeio Ferias chickosandbikes teatro caminhar 2014 series vinhos artistas 2013 viajar bicicletas cinema design tv berlim desafio fotográfico photoshop restaurantes quadros bike portugal beer cerveja futebol Artistas 2014 tool livros wines filme futsal books food myspace sites corrida praias BroTTasArT concertos gps comida desenhos viagens calendarios jumps video pocket calendars signos comida que eu gosto popcorn photography. software Lisboa ak47 desporto fds festas férias tattoos dança gear portutal terror 2014 musica DAF bizarro cris eventos exposição festa google motas travel airsoft bimby comida brottas dmp facebook flickr gpx gratis jogos maggelan mapas museus no comments online peddy paper people pessoas pub refeições tecnologia urbana vimeo web BD Prémios ae android apresentação apresentações baptismo bar blitz caminh canoagem casas de sonho cascais comédia cultura de borla curtas dieta efeitodoslivros estilos experiências fado feliz 2014 formação free fun gmail hoteis humor informática instalações kml legendas... loucuras magellan manutenção meandyou mergulho mo motos nasa nice spots noticias ovies paginas passatempo posters premios publicidade... relogios rideabike rir sapo sardinhas setubal shows sim se ela quiser sopa styles subtitles sugestões testes thiller thriller trabalho tumblr técnologia util vampiros vide visitas. voar xpogo

Número total de visualizações de página